sábado, 13 de fevereiro de 2010

Além do corpo


Mais que o teu corpo quero o teu pudor
quero o destino e a alma e quero a estrela
e quero o teu prazer e a tua dor
o crepúsculo e a aurora e a caravela
para o amor que fica além do amor.

A alegria e o desastre e o não sei quê
de que fala Camões e é como água
que dos dedos se escapa e só se vê
quando o prazer se torna quase mágoa.

Estar em ti como quem de si se parte
e assim se entrega e dando não se dá
quero perder-me em ti e quero achar-te
como num corpo o corpo que não há.

Manuel Alegre, Mais que o teu corpo

2 comentários:

quicas disse...

... o poeta no seu melhor!

QUERO!

:)

De Profundis disse...

Quicas, o poeta diz o indizível... e eu como não sei fazê-lo, roubo-lhe as palavras...

Beijinho