quarta-feira, 4 de maio de 2011

Palavras poderosas

As águias deixam que os passarinhos cantem, sem nenhuma preocupação com o seu trinado alegre, certas de que com a sombra das suas asas poderão reduzi-los ao silêncio.

William Shakespeare

6 comentários:

Lídia Borges disse...

Nenhuma águia poderá jamais ter a graça de um passarinho.
A sua superioridade é consubstanciada na fria sombra das suas asas.

Um beijo

Anónimo disse...

REPITO:

não percas tempo com as frases e os provérbios, com as máximas e as sentenças. Ninguém, julgo eu, as lê. A malta vem aqui mesmo pelas tuas palavras, pelos teus textos, pelos teus poemas, como este. Dá-nos só isso, porque é uma desilusão muito grande entrar aqui e ler frases profundas que não te pertencem. Ou então, se queres mesmo escrever essas coisas, abre outro blog???

ENTENDIDO???

ORPHEU disse...

E tu és águia ou passarinho?

De Profundis disse...

Tens toda a razão, Lídia.

Um beijo

De Profundis disse...

Caro Anónimo:
Da outra vez não o fiz, desta, tenho mesmo que lhe responder.
Em primeiro lugar, muito agradeço a sua preferência pelos meus textos, ao invés de outras publicações que aqui vão surgindo, sempre devidamente identificadas. Acredite, o elogio velado honra-me muito e uma vez mais lho agradeço.
Em segundo lugar, devo dizer-lhe que este blogue é meu. Só meu. Sou a única administradora deste espaço que desde o seu início, em 2007, tem um fio de pensamento, uma coluna vertebral que o sustenta e em relação à qual tento manter toda a coerência. Lamento que não o tenha percebido. Mas parece-me importante que perceba que este blogue não é uma secção de "textos pedidos" aos quais me veja obrigada a responder. Lamento muito, acredite que sim, que não goste das frases e dos provérbios, das máximas e das sentenças. Lamento que não lhe digam nada e que as considere uma pura perda de tempo. Permita-me dar-lhe um conselho: Uma vez que por aqui nada vai mudar, quando deparar com esse tipo de publicações, mude de página, procure outra que seja mais do seu agrado. É que se lhe assiste o direito de gostar ou não gostar do que aqui vai surgindo, assiste-me, também a mim, o direito de publicar o que muito bem entendo neste espaço (eu já disse que este blogue é meu?).
Em terceiro lugar, e relativamente à sugestão que me faz, de abrir outro blogue, devo dizer-lhe que não o farei, uma vez mais porque este é o meu blogue e é assim que eu ooncebo e lhe vou dando vida, umas vezes com coisas alheias, outras com palavras minhas que ao que parece, "a malta", como você, que por aqui passa, muito respeita
e deseja continuar a ler.
Sim, caríssimo Anónimo, pela minha parte estamos entendidos. E agradeço-lhe muito que da próxima vez que me comentar, não me grite. Sou alérgica a vozes altas e a discursos alterados... fazem-me azia.

Volte sempre!
Os meus sinceros cumprimentos e os desejos de um bom fds :)

De Profundis disse...

ORPHEU, uma vez que as minhas asas não fazem sombra a ninguém, devo ser passarinho...
Muito obrigada pela visita,

Um beijo