quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Fotografia


Pousa esse gesto devagar
não rasgues ainda o silêncio...
Prende a palavra que escorrega
por entre os teus lábios abertos
e deixa que apenas o sorriso
eternize o detalhe
com que te guardarei
neste instante perfeito.

4 comentários:

António Gallobar disse...

Excelente reflexão,votos de um bom ano de 2010

Abraço

Lídia Borges disse...

A delicadeza perpassa através das palavras porque elas exalam beleza, silencio, perfeição... Sim, perfeição!!!

Deixo-te este do Mário Quintana:

«Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...»


Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética", Editora Globo - São Paulo, 1998, pág. 118.
Um beijo de quase Ano Novo!

De Profundis disse...

Obrigada António, um feliz Ano Novo também para si.
:)

De Profundis disse...

Lídia, obrigada pelo presente.
Desejo-te passos seguros em 2010!
Um beijo