quarta-feira, 19 de março de 2008

Palavras preciosas


O amor fino não há-de ter "porquê" nem "para quê". Se amo porque me amam, é obrigação, faço o que devo; se amo para que me amem, é negociação, busco o que desejo. Pois como há-de ser o amor para ser fino?
Amo porque amo e para amar.

Padre António Vieira

1 comentário:

Maria Campos disse...

Amo porque amo e para amar.

E mais nada!...

Bjca grnd à De Proundis,M.C.