quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Preciso de escrever-te

... tenho sentido a tua ausência nas palavras que não te escrevo. Trabalho, muito, distracções várias, preocupações mil que me afastam de ti. Nas palavras quero dizer. Em pensamento, tu a interromperes-me as manhãs as tardes as noites. As mesmas manhãs tardes noites que não te escrevo. Sinto-te na ausência do que não digo. Preciso de escrever-te.
Repito: preciso de escrever-te.

Paulo Ferreira, Cartas a Mónica

4 comentários:

Sonhadora disse...

Nas palavras que se escrevem em silêncio...há sempre uma recordação a murmurar.

Um beijo
Sonhadora

Drinha disse...

Escrever alivia-nos a alma...

De Profundis disse...

Uma recordação, um sorriso, um sonho... Há tanto nas palavras!
Um beijo, Sonhadora :)

De Profundis disse...

Muito, Drinha...

Um beijo