sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Em Português

E pronto, não posso adiar mais. Hoje é o primeiro dia de aulas e a partir de agora é impositivo que se use o novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa em todas as escolas do país. Aos meus leitores peço paciência porque sei que vou falhar muitas vezes, vou cometer erros, ou não fossem os hábitos de uma vida inteira tão difíceis de mudar...
A vantagem (tão boa!) é que já não existe o português de Portugal nem o português do Brasil... Existe apenas a nossa língua, a língua portuguesa, belíssima nos seus acordes, na sua sonoridade, cheia de melodia e de doçura, como um poema...! Agora existe apenas uma língua com uma literatura riquíssima a unir 273 milhões de falantes em todos os cantos do mundo. Levada deste cantinho pelos marinheiros portugueses na era dos Descobrimentos, a língua de Camões dispersou-se, uniu os continentes e é hoje a sexta mais falada no mundo e uma das línguas oficiais da União Europeia. Espero não a desrespeitar nunca nos meus textos cometendo erros grosseiros e é com humildade que agradeço aos visitantes deste espaço todas as correções que se impuserem.
E agora, que estamos todos de Acordo, vamos lá escrever em português :) 

4 comentários:

Lídia Borges disse...

E a tese? Ai! ai!...
Não vou saber reescrevê-la. Quem tem à mão um conversor?

Beijinho e um BOM ANO para ti Paulinha

De Profundis disse...

Vais saber, sim senhora! O conversor podes descarregá-lo no site da Porto Editora, mas acredita, não precisas dele para nada. E além do mais, tenho mais um bom motivo para ir ter contigo, corrigirmos juntas as nossas teses. E, claro, comermos um gelado!
Obrigada Lídia, tudo de bom para ti!

Beijo meu e saudades mil

Emoções disse...

Nem para o céu nem para o inferno... escritores, quando morrem, vão para a eternidade.

De Profundis disse...

Plenamente de acordo, Emoções :)
Obrigada pela visita, volta sempre!

Beijinho