segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Palavras tristes

se envelhecesses a meu lado, cedo perceberias
que nunca fui digno do teu rosto ou da tua ternura.
é isto que penso quando me lembro que partiste.

José Luís Peixoto, A casa, a escuridão

2 comentários:

Pedro Gaivota disse...

Espero que essas "palavras tristes" sejam fingidas, tal como o poeta finge e jamais venham a ser sentidas...
Já reparaste que apesar da debandada dos veraneantes o sol insiste em brilhar?...
Conheço o teu rosto apenas da foto que em tempos publicaste neste blog, mas mesmo correndo o risco de estar a fazer julgamentos pouco fundados atrever-me-ia a dizer-te que és muito mais gira quando sorris...
Põe-te gira Miúda!

;)

De Profundis disse...

Pedro, obrigada pelo carinho e pela preocupação mas está tudo muito bem comigo :)
Um texto bom é um texto que nos incomoda, que agita as emoções, que nos traz a alegria ou a tristeza... E o texto publicado incomodou-me. Muito. E ainda por cima é tão belo!
Quanto ao meu sorriso, obrigada pelo cumprimento :)

Beijo