quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Sem palavras


Hoje não escrevo. Não consigo escolher as palavras que, como aves fugidias, são peças indecifráveis de um puzzle que não consigo montar... Não sei contar deste novelo enrolado no meu peito, embrulhado em emoções que não me apetece ler. Hoje o texto não faz sentido, tem o rosto do cansaço e da solidão, do silêncio e do vazio...
Hoje não escrevo. Não sei dizer esta inquietude com as palavras que conheço. Talvez haja outras, mais rebeldes, que se escondem por detrás do bater do coração e brincam com as minhas mãos atadas, com a voz silenciada por uma mágoa qualquer que hoje o espelho das lágrimas não me devolve. Mas também essas me fogem, se escapam velozes do texto que não nasce...
Hoje não escrevo. Apaguei a luz cá dentro e no escuro, talvez entenda esta música que ecoa baixinho... Esta toada triste e dolente, como um vento frio que anuncia a chegada da chuva... Hoje dentro de mim, não há nada que eu entenda.
Por isso hoje não escrevo.

6 comentários:

Kleine Hexe disse...

Melhor ouvir de mansinho, o silêncio de um coração.
Assusta-lo com essa possibilidade de poder ser escutado e dizer-lhe que às vezes tudo muda com esse simples gesto.

Bjs

Kleine

Nicole disse...

Hoje escreveste, sim. E escreveste por mim.Adorei a tua emotividade, vou seguir-te.
Beijinho

De Profundis disse...

Tens razão, Kleine, é no silêncio que se ouve melhor, e é na solidão que todos os silêncios se fazem ouvir.
Um beijinho, bom fim de semana :)

De Profundis disse...

Obrigada, Nicole. Talvez tenha escrito... ou talvez tenha só arrumado emoções.
Agradeço a simpatia das tuas palavras e fico feliz por me revisitares sempre.
:)

PandoraSempre disse...

E por isso eu te escrevo estas palavras:tenho saudades tuas amiga!
beijinho

De Profundis disse...

Olá Pandora :) :)
Se bem me lembro, temos um almoço adiado há anos!! Vamos marcar?
Beijinho

P.S.- Eu também sinto saudades...