sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Os passos do Tempo


Nunca o Homem conseguirá imitar a sabedoria da Natureza. Ela sabe sempre quando se despir e escorregar para dentro da terra dormindo o longo sono do Inverno, ela sabe rebentar em flores e perfumes, explodir em frutos que escorrem seivas e sumos coloridos, quando é chegado o momento... O Homem vive levianamente, teima na atitude pueril de luta contra o Tempo, mas de nada vale apressar o Inverno ou atrasar a Primavera, o aroma das flores não dura mais que efémeras horas e as aves sabem que um dia é tempo de partir, que os seus ninhos tombarão da árvore dos dias, vazios de calor. E do mesmo modo, um fruto só se desprende dos ramos quando está pesado de vida, maduro de sonhos e então, nesse momento, ele oferece-se generosamente à boca dos viajantes, entrega-se à terra para nela se fundir de novo.
Por isso, de que vale a revolta, a ira, o descontentamento, se sabemos que a seguir ao gelo dos Invernos há sempre uma Primavera ébria de aromas onde nos podemos renovar, onde é possível renascer?
Acertar o nosso respirar pelos passos do Tempo, é tudo o que precisamos de fazer... Porque a vida traz o resto. Sem pressas.

2 comentários:

Alquimista Das Palavras disse...

Carpe Diem...
Bj.

De Profundis disse...

E um dia de cada vez...
Um beijinho, Alquimista
:)