terça-feira, 5 de maio de 2009

Dias perdidos


Há dias rasgados por silêncios pesados, buracos negros onde os minutos escorrem devagar.
Há dias perdidos no ânimo e na vontade, pequenas montanhas de solidão, quieta como um bicho.
Há dias sem sal, sem açúcar, sem sabor, que engolimos a custo para matar a fome da vida.
Há dias sem água, que nos secam e rasgam a boca, calada de palavras.
Há dias incolores, baços no riso que desatamos com dor.
Há dias gelados de desencontros, labirintos de melancolia nos corredores da memória.
Há dias sem perfume.
Há dias vazios.
Há dias que não valem a pena.
Há dias que a noite engole...
Por fim.
Ainda bem.

1 comentário:

Angélica Lins disse...

Há dias perdidos e dias que nos perdemos de nós...Bom mesmo,são aqueles dias em que conseguimos fazer um retorno.

Dias iluminados pra você.

:)