segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Em Dezembro


Impossível não notar... A cidade engalanou-se, vestiu-se de luz e cor, há música nas ruas, nas lojas alegres, onde as pessoas se acotovelam já a comprar os presentes que a quadra exige... Por todo o lado, pais natais, bonecos de neve, renas, bolas coloridas, guirlandas, estrelas, laços e fitas abraçando embrulhos, sinos e presépios, cânticos e sorrisos, acções de beneficência e vendas de caridade, filantropia e solidariedade a jorros...
E no entanto, impossível não notar... Os passos apressados de quem percorre as montras de olhar vazio, as mãos carregando o peso de mil angústias, os corações vazios de sonhos. Tanta gente só, tantos idosos tristes e abandonados, tanto ser humano transpirando frio e fome, tantos gestos denunciando um negro desalento... Nas lojas quentes, nas ruas agora tão bonitas, lado a lado, tanta desigualdade nas emoções de corações iguais...
O Natal não tarda... mas não chega a todo o lado e não é para todos.
Impossível não notar.
Em Dezembro.

4 comentários:

Storinha disse...

O mês de Dezembro, apesar das luzes, da correria das pessoas, dos sacos cheios...de sonhos, e do olhar brilhante das crianças, já perdeu a magia de outrora...
Cheira a Natal é certo... mas porque será que esse cheiro já não é igual ao que sentia quando era criança? Serei apenas eu que o sinto diferente...ou estará mesmo diferente?
Beijo e parabéns pelo blog

De Profundis disse...

Nós crescemos e a vida muda-nos. Muda-nos o olhar e o sentido.
Obrigada pela visita, volta sempre.
Beijinho

WOLKENGEDANKEN disse...

TANTA VERDADE. Sempre penso que o natal cria muito mais desgraca que felicidade. Apetece-me tambem escrever algo sobre o tema ..... depois falamos mais :)

De Profundis disse...

Vou estar atenta à tua escrita, WOLKENGEDANKEN
:)