sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Segue a estrada de tijolos amarelos


Não sei porque me lembrei hoje da história do Feiticeiro de Oz. Li o livro há muitos anos, quando era miúda e fascinou-me tanto que durante esse Verão reli-o várias vezes até que nenhuma frase me surpreendesse, nenhum pormenor me escapasse. Depois devolvi-o à Biblioteca Municipal e abandonei-o, esquecido num qualquer corredor da mente. Pelo menos julgava eu, porque hoje, inesperadamente, dei comigo a recordar a Dorothy, uma menina que tem como único amigo um cãozinho que desaparece durante uma tempestade e agora, como num filme, as imagens sucedem-se dentro de mim... Sem hesitar, Dorothy parte em busca do cão e quando o encontra e pretende regressar, verifica que também ela está perdida. Porque me lembrei disto hoje? Porque surgem com uma nitidez arrepiante as personagens insólitas deste conto magnífico? Recordo: havia um homem de lata que procurava um coração, um leão que desejava encontrar coragem, um espantalho que queria ter um cérebro e Dorothy, que desejava regressar a casa. Sem dúvida um estranho grupo de personagens que reúne os valores mais nobres do ser humano e simboliza a busca incansável de cada caminhante na viagem da vida. Só o Feiticeiro de Oz, que vive na Cidade das Esmeraldas, conseguirá ajudar Dorothy e os amigos a alcançarem os seus sonhos. A menina calça os sapatos de rubi da bruxa má morta e repete como um estribilho, ou uma canção, o aviso que lhe tinha sido feito: Basta seguir a estrada de tijolos amarelos.
Tendo em conta que Dorothy encontrou o seu lar e que as outras personagens descobriram que afinal o que elas procuravam estava dentro delas próprias, este parece-me um bom lema para o novo ano que daqui a poucas horas se inicia. Começar 2011 sem esquecer que muitas vezes o que procuramos desesperadamente aninha-se dentro de nós e que a solução está sempre nos nossos pés, nos passos que damos. Só temos que seguir a estrada de tijolos amarelos.
Talvez por isso, daqui a pouco calçarei os meus sapatos de rubi, os mágicos, que não me cansam os pés e darei o primeiro passo na longa estrada de tijolos amarelos. No peito tenho um rumo e guardo uma certeza: a felicidade mora em nós, difícil é não nos afastarmos da estrada que nos conduz ao coração. Ao nosso. E ao coração de quem amamos.

A todos os visitantes deste espaço, em 2011 desejo uma caminhada cheia de dias felizes. E se alguém se sentir cansado da viagem ou tiver o rumo perdido, fica o conselho que li há tantos anos num livro maravilhoso que hoje me assaltou a memória: Basta seguir a estrada de tijolos amarelos.

Um Feliz Ano Novo!

13 comentários:

Pó e mais nada... disse...

Vim dó desejar um Ano Novo Feliz, cheio de todas as coisas boas...para lá da estrada de tijolos amarelos =)

Beijinhos

Anónimo disse...

Se hoje me cruzar com alguma mulher com sapatos rubi não vou resistir à tentação de a abraçar e lhe desejar um Feliz Ano Novo...

Feliz Ano Novo para ti...

Um Abraço
Octávio Morais

JOE ANT disse...

Eu, que vivo na indecisão, que me balanço entre o "e" e o "ou", que me reparto entre o "ser e/ou não ser", entre o "fazer e/ou não fazer".
Isso de dizer que "tudo depende só de mim" é pura retórica!
E as forças de bloqueio?
E as guerras psicológicas?
E o campo de possiblidades?
E a vontade?
Sim, tudo depende de mim, se eu estiver liberto de conceitos, preconceitos e indecisões.
...
"Não sei de onde venho, não sei para onde vou, mas sei... que não vou por aí!"
(José Régio)
...
E eu, homem de lata (já com coração, mas que soa mais com o som de um chocalho), vestido com uma armadura que obtaculiza os bons futuros movimentos, que me faz parecer um espantalho, com a coragem de um leão, seguirei pela estrada dos tijolos amarelos (já precisada de muitas obras a serem efectivadas pela Estradas de Portugal - sem dinheiro) para tentar enconrar o meu caminho, mesmo sem os sapatoa mágicos.
...
Oxalá encontre a saída, para poder chegar ao meu computador e fazer a "feitiçaria" de lhe enviar:
- Votos de FELIZ ANO NOVO.

JOE ANT disse...

Desculpem-me. Esqueci de informar:
"A Dorothy e o cão seguiram outro caminho. Não sei o que foi feito deles. Oxalá tenham encontrado a saída, por uma estrada de barrinhas de ouro, que bem merecíam, pelo muito que me ajudaram"
...
Feliz Ano Novo para eles também e que figurem na lista de multimilionários da Forbes.
...
Eu, cá por mim tentarei a sorte no Euromilhões (e é para já!) a ver se...

Maria Campos disse...

Assim o farei, esperando que também o faças.

Um bom ano também pra ti e teus ( incluindo as amigas, é claro ) !

Xic,

Maria Campos

Pedro Gaivota disse...

Assim o farei... Só não usarei sapatos rubi de saltos altos porque me apertariam os joanetes...

Um muito Feliz Ano de 2011.

Parafraseando os marinheiros e pescadores, que seja um Ano com "mar chão e vento de feição..."

De Profundis disse...

Pó, um ano muito feliz para ti!

Beijinhos :)

De Profundis disse...

Octávio, se me tivesse cruzado contigo, também eu te teria abraçado e desejado um Feliz Ano Novo!

Um beijo

De Profundis disse...

Joe, ainda bem que que o feitiço resultou e me desejou um bom ano novo... Só me resta retribuir-lhe os votos feitos :)

Beijinho

De Profundis disse...

Maria Campos, um Ano Feliz, cheio só de coisas boas :)

Beijinho

De Profundis disse...

Boas marés e bons ventos também para ti, Pedro :)
E quanto aos sapatos de rubi de saltos altos, fizeste bem em não os usar... O conforto acima de tudo! :)

Beijo

mi@mara disse...

Também me falaram duma cena deste filme à muito pouco tempo, e como eu só tinha a história em gira-discos, foi-me oferecido o filme...sorte! Gostei muito...é um facto que no nosso dia-a-dia também passamos o tempo à procura daquilo que provavelmente existe dentro de nós. Está-nos no sangue dificultar a as coisa que provavelmente são simples! Um Feliz 2011 para si.
Beijinhos

De Profundis disse...

mi@mara, ainda bem que lhe ofereceram o filme. É uma história inesquecível...
Desejo-lhe um 2011 muito, muito feliz e obrigada pelos seus votos.

Beijinho