sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Quietude


Não estranhes a minha quietude... Também os peixes por vezes se mantêm imóveis contra a força da corrente.

14 comentários:

Escritor de Rua disse...

sejais forte como os frageis peixes que sempre se superam

Anónimo disse...

Não estranho Ana Paula. Sabe, há pessoas que mesmo quietas continuam encantadoras.

Cumprimentos de Pedro Gaivota

Lídia Borges disse...

Respira fundo. Não gesticules nem grites.
A força da corrente vai acalmar logo que encontre terreno menos acidentado.


Entretanto deixo-te a minha compreensão e um beijo

ORPHEU disse...

Estar parado não significa ter desistido, é apenas uma estratégia e muitas das vezes a única possível. Bom fim-de-semana!

Beijo e sorriso

Sonhadora disse...

Por vezes, apetece fazer de mortos para não sofrer.

deixo um beijinho
Sonhadora

Maria Campos disse...

Sábios, os peixinhos....

Bom fim de semana. Com muito que fazer eu sei, mass sempre dá para uns momentos de quietude...
Usufrue !

De Profundis disse...

São criaturas sábias, Escritor. As primeiras que Deus criou. Talvez devamos imitá-los em mais coisas.

Obrigada pela visita, bom fim de semana :)

De Profundis disse...

Tens razão, Pedro. Há pessoas assim.

Um beijo

(vejo que as palavras da Maria Campos foram ouvidas :) Bem vindo ao mundo das palavras e à aventura da escrita)

De Profundis disse...

Lídia, obrigada pelo teu abraço...
Gosto tanto de ti... sabias?

Beijo :)

De Profundis disse...

Bom fim de semana, ORPHEU :) E obrigada por mais um presente. É lindo!

De Profundis disse...

Ou até que a tempestade passe...

Beijinhos, Sonhadora :)

De Profundis disse...

Vou tentar, Maria. Bom fim de semana para ti também :)

Carmo disse...

Por vezes é preciso parar para recomeçar.

Um abraço e boa semana

De Profundis disse...

É isso mesmo Carmo. Parar, encher os pulmões de ar e a alma de alento, e recomeçar.

Beijinho, boa semana :)