sexta-feira, 21 de maio de 2010

Porque gosto de ti


Soube que gostava de ti quando estiveste doente e ficaste quase um mês no hospital... Não era a preocupação normal com o estado de saúde de uma colega, era a estranha inquietude que só conseguimos sentir em relação aos que amamos... Era a falta e o desassossego, era a tua ausência que me doía... Depois fui eu operada, lembras-te? O risco não era a cirurgia, mas aquilo que os médicos iriam encontrar dentro de mim... E eu soube que gostava de ti porque estiveste sempre comigo, nem um só dia deixei de sentir a tua mão entre as minhas, confortando-me e dando-me forças para me reerguer, protegendo-me. Mais tarde, foi o meu aniversário. E eu soube que gostava de ti quando fazia a lista dos que queria junto de mim nesse dia e a minha mão desenhou o teu nome mesmo antes de eu o ter pensado... Tu, no meu mundo de afectos, naquele dia. E depois, na Páscoa, fomos a Londres. Durante cinco dias estivemos sempre juntas, e rimos muito, e revelámo-nos, e tu foste o amparo e o sorriso, a ternura e a razão, o ombro e o colo... A viagem foi mais bonita... E eu soube que gostava muito de ti.
Hoje fazes anos. Vou comprar-te um presente, um que tu adores, mas sei que isso não é o mais importante... Os presentes verdadeiramente valiosos são os amigos como tu, os anjos que nos sustêm quando as nossas asas estão magoadas, os sorrisos sinceros com que brindamos à vida... Fazes anos e eu quero dizer-te o quanto gosto de ti, o quanto a tua amizade é um tesouro precioso... e o quanto admiro o teu coração leal e sincero, como só têm os verdadeiros amigos. Quero abraçar-te e desejar-te um dia feliz, muito feliz. E quero que saibas o quanto gosto de ti.
Parabéns, Nani! E que a vida te sorria sempre.

2 comentários:

Maria Campos disse...

E a Maria Campos não tem tb direito a uma declaraçãozinha de amizade ?

Bj mt grnd, M.C.

De Profundis disse...

:)

Um beijo, Maria.