domingo, 9 de maio de 2010

Do silêncio


Gosto de entrar para dentro dos teus olhos e na encruzilhada de emoções, seguir o rasto das tuas palavras até às raízes mais fundas do coração... Gosto de ler o que não me diz a tua boca, de adivinhar as palavras que se escondem em cada bater do teu peito... Por isso não perguntes se me dói... Porque dói-me muito. Dói-me este silêncio, que nunca morou entre nós. Dói-me esta vontade de desistir, a respirar fundo no meu poema...

8 comentários:

Sonhadora disse...

Lindo e triste o seu texto.

Dói-me este silêncio, que nunca morou entre nós. Dói-me esta vontade de desistir, a respirar fundo no meu poema..
Como eu sei do que fala.


Deixo um beijinho

Sonhadora

Lídia Borges disse...

Passear em biquinhos de pés pelo teu poema, para a frente e para trás, beber todo a beleza que corre das palavras em cascatas de água pura...

Lindo Amiga... Lindo!

ORPHEU disse...

Estou encantado com a beleza da sua alma e com a doçura da sua escrita.
Um Bem-Haja! por me ter emocionado...

De Profundis disse...

Obrigada pelo beijinho e pela visita, Sonhadora. Volte sempre :)

De Profundis disse...

Lindas as tuas palavras, Lídia. E o teu coração também.
Um beijo enorme

De Profundis disse...

ORPHEU, muito obrigada... Os seus elogios fizeram-me feliz...:)
Volte sempre e sinta-se bem.

' disse...

Oi! Adorei seus textos.
POr isso estou fazendo parte
do seu cantinho.
BjOOoOO!!

De Profundis disse...

Obrigada pelas palavras... O meu cantinho também é seu. Entre à vontade e sinta-se bem.

Beijinho