domingo, 21 de março de 2010

Da violência


Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem.

Bertold Brecht

4 comentários:

quicas disse...

E a água?! De onde vem, para onde vai, enche o rio entre margens!
Beijo

De Profundis disse...

Obrigada pela partilha, Quicas.
Um beijo

ishia disse...

Que o comprimem... ou o abraçam?

De Profundis disse...

Talvez tenhas razão, ishia... Há abraços que estrangulam...

Beijinho