terça-feira, 16 de março de 2010

Da Eternidade


Tu estás em mim como eu estive no berço
Como a árvore sob a sua crosta
Como o navio no fundo do mar

Mário Cesariny, Pena Capital

2 comentários:

ishia disse...

Até apetece ser navio...

De Profundis disse...

... ou árvore.
Beijinho, ishia