quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A última dança

E de repente, o estertor de uma música belíssima bate-me na alma, no fundo, no lugar onde a dor é mais fria, no lugar secreto onde dói mais. Inclino a cabeça para a ouvir melhor e ela continua, faz-se mais forte, como uma mariposa doida na sua cegueira a roçagar nas vidraças do pensamento, dançando a mais bela de todas as danças. É a luz da memória que a atrai... ou a da saudade...? Fecho os olhos e ouço-a com uma nitidez tão grande dentro de mim... Ouço a agonia dessa sonata na sua dança mortal e é tão triste que nem me importo que ela fique aqui, aninhada no meu peito, fazendo-me companhia enquanto escrevo. Deixo-a ficar aqui, enquanto ela se consome nessa dança louca em volta da chama do pensamento... Enquanto ela dança a dança da morte, a sua última dança.

8 comentários:

Sonhadora disse...

Como sempre adoro o que escreves...e é a dança da vida que se consome como uma chama.

Quase sempre passo em silêncio, mas hoje comentei e deixo um beijinho.

Sonhadora

De Profundis disse...

Obrigada, Sonhadora...
Somos também nós que nos consumimos na dança dos dias, na chama do pensamento...
Ainda bem que hoje não passaste em silêncio... agora sinto-me menos só.Obrigada.

Beijo

Sahara disse...

Muito bonito... Beijinho

De Profundis disse...

Obrigada, Sahara :)

Beijinho

Lídia Borges disse...

Dionisíaca e embriagante essa dança.
É com prazer que sinto o movimento eufórico que imprimes ao texto.
É com prazer que entro na "dança".

Beijinhos

De Profundis disse...

Obrigada, Lídia :)

Um beijo

Anónimo disse...

A musica do pianos é linda
:) Como é que se chama?

Anónimo disse...

A musica do pianos é linda
:) Como é que se chama?