sexta-feira, 29 de julho de 2011

Do Amor

não te voltarei a ver. espera por mim
apenas no coração, onde
te farei sempre crescer e
onde, acima das minhas
forças, me trarás o amor e
a felicidade de um dia te
haver conhecido. bastar-me-ei
obrigatoriamente com isso, e
acreditarei que não enlouquecerás,
para exerceres a piedade de
fazer o mesmo por mim

valter hugo mãe, in Exercício do Bom Amor

6 comentários:

Pedro Gaivota disse...

Os últimos posts "cheiram" a despedida...Eu posso ajudar a criar ambiente:
http://www.youtube.com/watch?v=U3WKdoyidXo

;)

PS: Gosto da ilustração. Remete-me para as paixões avassaladoras de faca e alguidar...

PS2: Sinto um certo gozo por ter testemunhado a descoberta da vocação do autor dessa ilustração.Fui colega de turma e amigo desse rapaz e admirei sobretudo a coragem que teve aos 14/15 anos de, depois de concluir o 9º ano de quimicotecnia com bom aproveitamento, pedir aos pais para repetir o 9º ano, desta vez em artes visuais, por acreditar que assim seria mais feliz...
Parece que acertou. Fico muito feliz por isso.

Abraços

De Profundis disse...

Olá Pedro :)

A lindíssima ilustração foi feita pelo Esgar Acelerado para uma das minhas "estórias". É a minha preferida e o conto que ela ilustra é também "o meu menino de oiro". Este poema do valter, um amigo comum, sintetiza na perfeição o meu texto em prosa. Admiro e respeito muito o trabalho de ambos e sinto-me privilegiada por ter trabalhado com o Esgar, porque o resultado é, na minha humilde opinião, lindíssimo.
Gostaria muito, se mo permitires, de te oferecer o meu livro. Podes deixar-me uma direcção e eu enviá-lo-ei ou então, quando vieres à Póvoa,podes procurá-lo no balcão na Biblioteca Municipal Rocha Peixoto. Deixá-lo-ei ao cuidado de "Pedro Gaivota" e espero que que o aprecies porque é oferecido com muito carinho.

Um beijo

P.S - E agora vou seguir o link que me deixaste e o odor a "despedida".

Maria Campos disse...

Olá Deprofundis e Gaivota !

Achei tão bonita a vossa troca de comentários...
É assim, neste mundo dos blogs e nesta nossa vida real. Os caminhos cruzam-se por identificações, fazendo-nos sentir menos sozinhos.
Também sou amiga do Valter e miguinha e priminha do nosso grande Esgar !
Pedro, vais levitar com a beleza das palavras e descrição de sentimentos do livro da Paula ! Assim como, mergulhar nos bonecos "horrorosos" do Esgar, que nos fazem arrepiar...
Desculpem-me os dois, mas apercebi-me que lá meti o bedelho outra vez...

Quanto ao teu post, amiga, as palavras profundas do Valter, bateram-me na alma ! As despedidas sangram...
Falemos em chegadas !!!!!

Bjs para os dois.

De Profundis disse...

Não Maria, não "meteste o bedelho". És sempre bem vinda a este espaço, és da casa!
Obrigada pelos elogios feitos ao meu livro :)

Beijo

O Alquimista disse...

A casa onde às vezes regresso é tão distante
da que deixei pela manhã
no mundo
a água tomou o lugar de tudo
reúno baldes, estes vasos guardados
mas chove sem parar há muitos anos

Durmo no mar, durmo ao lado de meu pai
uma viagem se deu
entre as mãos e o furor
uma viagem se deu: a noite abate-se fechada
sobre o corpo

Tivesse ainda tempo e entregava-te
o coração

José Tolentino Mendonça
(in A que distância deixaste o coração )

De Profundis disse...

Tão lindo, Alquimista!
Saudades de te ler...

Um beijo