segunda-feira, 14 de março de 2011

Pintar o silêncio


Pintava palavras e imagens.
E tentava sempre
desesperadamente
pintar o silêncio...
Mas mesmo
a mais suave pincelada
era um grito na tela.
Continuou essa busca
até morrer.
Foi quando
os seus quadros
se calaram.

5 comentários:

Lídia Borges disse...

Redondinho... Mágico!

Adorei, simplesmente.

beijinhos

De Profundis disse...

O silêncio é mágico, Lídia. Talvez por isso tão difícil de pintar com palavras.

Um beijo e tantas, tantas saudades!

manuela barroso disse...

Silêncio!
Não consegui passar sem quebrar o meu silêncio! O seu silêncio!
A inquietude, trouxe a quietude que procuro no silêncio!A minha quietude nos silêncios da noite.
E gostei do li.
Um abraço poético!
manuela

De Profundis disse...

Manuela, ainda bem que não passou em silêncio :)
Obrigada pelas suas palavras, volte sempre.

JOE ANT disse...

Se houver alguém
que diga que pintou o silêncio,
ou mentiu
ou anda iludido.
Se isso pensou,
até iludido estava
de que era pintor.
Nem mesmo os gritos
se podem pintar.
Apenas a cor do grito,
que buscou aflito,
na paleta dos desejos.
Calou os ensejos
porque a tela não gritou,
até que a morte o levou.
...
Aí... ouve choro,
houve gritos,
e dos seus quadros calados,
sentiram-se gemidos dilacerados.