quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Meu Amor-Perfeito


O tempo seca a beleza,
seca o amor, seca as palavras.
Deixa tudo solto, leve,
desunido para sempre
como as areias nas águas.

O tempo seca a saudade,
seca as lembranças e as lágrimas.
Deixa algum retrato, apenas,
vagando seco e vazio
como estas conchas das praias.

O tempo seca o desejo
e as suas velhas batalhas.
Seca o frágil arabesco,
vestígio do musgo humano,
na densa turfa mortuária.

Esperarei pelo tempo
com suas conquistas áridas.
Esperarei que te seque,
não na terra, Amor-Perfeito,
num tempo depois das almas.

Cecília Meireles, "Canção do Amor-Perfeito", in Retrato Natural

6 comentários:

Eros disse...

Um longo suspiro outonal... dolorosamente belo!

Anónimo disse...

"Mas a verdade ainda pode ser encontrada procurando a voz que sussurra para a alma."

https://www.youtube.com/watch?v=ypLHKVKaLZE

Anna disse...

Gosto do voo do seu comentário, Eros.
Dolorosamente belo... como os Amores-Perfeitos.

Beijo

Anna disse...

Caro Anónimo,
6,12 minutos de música refrescante... Pena as legendas serem tão más...

Grata :)

Mar Arável disse...

Quase tudo se conquista
até o tempo

Anna disse...

O tempo conquista-nos, penso que assim é que é...

Um abraço, Eufrázio.