domingo, 1 de abril de 2012

Palavras de água


Vê como o verão
subitamente
se faz água no teu peito,
e a noite se faz barco,
e a minha mão marinheiro.

Eugénio de Andrade, in As Mãos e os Frutos

10 comentários:

"quicas" (joaquim do carmo) disse...

A delicadeza, o bom gosto e a mágica inspiração de sempre em Eugénio de Andrade, num post belíssimo!
Beijinho, Ana e bom Domingo!
jc

Anna disse...

Obrigada, Quicas :)

Beijinho, bom domingo!

Maria João disse...

Incrivelmente simples! Profundamente belo!

É desta forma que Eugénio de Andrade me comove, sempre!!

Um beijinho, Paula. Bom domingo.

AC disse...

Eugénio, sempre!

Beijo :)

Lídia Borges disse...

O "nosso" Eugénio navega num mar de lirismo só dele.

Beijinhos

Anna disse...

Belíssimo, Maria João :)

Inesquecível, o Eugénio...

Beijo, saudades...

Anna disse...

Pois é, Lídia... Tão único, tão surpreendentemente único...

Beijo, saudades...

Anna disse...

Eugénio de Andrade, AC. Está tudo dito...!

Beijo

Mar Arável disse...

O nosso Eugénio sempre

em todas as estações

Anna disse...

Sempre, Mar Arável.