sexta-feira, 13 de abril de 2012

Cá dentro


Nesta página só há angústia a destruir
Um desejo de lisura e branco,
Um arco que se curve - até que o pranto
De todas as palavras me liberte.

Sophia de Mello Breyner Andresen

3 comentários:

Maria João disse...

O pranto, angústia liquefeita. O indizível vindo de dentro a transbordar a margem dos olhos...

Tão belo. Sophia... claro!

Um beijinho grande de mar.

Rosa Carioca disse...

Grande Sophia!

Lídia Borges disse...

Uma página assim é tanto!

Gosto! Sabes como gosto.

Beijinho