domingo, 10 de abril de 2011

Pai


Sentas-te à minha frente e a tua sombra interrompe-me o poema. Tiro os dedos do teclado e toco-te a mão, tão longe da minha, tão impossível de alcançar... Prendo-me aos teus olhos e precipito-me em queda livre no fundo dos dias esbatidos pela distância... Tu sorris-me daí, desse sítio onde te vejo, talvez, afinal, só dentro de mim. Tens o sorriso mais belo do mundo. E os teus olhos dizem anda e eu entro contigo no Land Rover, sento-me no teu colo e tu conduzes devagar, o jipe levantando uma nuvem de poeira vermelha, o ar seco e quente preso à nossa pele... Mostras-me o rasto dos bichos e as árvores enormes cheias de pássaros, bebemos uma limonada gelada pelo gargalo da garrafa e eu sujo o meu vestido branco bordado pela mamã... Tu não deixas de sorrir nunca, e abraças-me com força, prendes-me a ti, enrolas os teus dedos nos caracóis do meu cabelo e chamas-me pequerrucha...

O poema voltou. Os dedos regressam às palavras, o peito abre de par em par as portas de todas as memórias, mesmo as mais longínquas... Só tu não estás mais aqui.

12 comentários:

Lídia Borges disse...

Abraço-te!...

Ainda que me tenhas deixado esta lágrima teimosa a bailar nos olhos

L.B.

De Profundis disse...

Obrigada pelo abraço, Lídia... Precisava tanto dele...!

Um beijo

Sonhadora disse...

Eu também deixo apenas um abraço em silêncio e uma lágrima que teimosamente assoma aos meus olhos.
O meu pai também foi.

Sonhadora

manuela barroso disse...

Amiga!

E a lágrima que se atrasa nos meus, estourou como se se abrisse a comporta!`
Sinto a sua saudade...eu não consigo ultrapassar a minha!
De tanta ternura e tanta beleza, deixo-lhe a minha admiração! Com uma "lágrima teimosa"
e um abraço!

De Profundis disse...

Um abraço para si também, Sonhadora. E obrigada pela partilha.

Um beijo

De Profundis disse...

Manuela, obrigada pelas palavras sentidas... Deixo um abraço pela sua perda e todo o meu carinho.

Um beijo

Maria Campos disse...

Falemos de poesia !

Teu texto é lindissimo. Consegues tornar belo o que é doloroso.

O resto, a falta a saudade, a ausência, esta...
Que te posso dizer ?
Um dia, longínquo, todos nos juntaremos num paraíso lindo e pacífico !
Entretanto, esquece as recordações que te fazem sofrer.

E relembro-te algo que talvez já te esquceste.
Está quase, está chegando.

Andiamo à Roma !

De Profundis disse...

Maria querida, obrigada pelas tuas palavras :)
(...) Recordar o meu pai não me faz sofrer, pelo contrário... E tenho a estranha teoria de que ele está sempre perto de mim... ou dentro de mim, se preferires...
Quanto a Roma, que posso eu dizer?????? Já comecei a fazer a mala... e comprei o Xanax para conseguir entrar no avião :)
(Seguras-me na mão?)


Beijos, muitos!!!

Maria Campos disse...

A mão, o pé, se preciso até te levo ao colo...
E para registrar tudo, não te esqueças da tua linda máquina cor-de-rosa...

De Profundis disse...

Maria, a mão basta para me acalmar... E a minha lindíssima máquina já está prontinha para trabalhar incansavelmente! :)

Sônia Brandão disse...

Bom quando ainda resta a alegria de lembrar. Saudade é o amor que fica.

bj

De Profundis disse...

Sónia, já nada tenho além de memórias... e tenho um medo terrível de as perder.

Beijinho :)