quinta-feira, 22 de abril de 2010

Inquietudes


Hoje tenho muitas imagens dentro de mim. É assim às vezes. Surgem do nada, no segundo de um silêncio, partem as vidraças da memória, pousam na mesa e nas cadeiras e aqui ficam... ondulando, abraçando-me. São muitas. Como ondas de um mar inquieto, agitam-se e batem-me contra o peito, vão e vêm, na areia molhada do coração... Hoje tenho muitas imagens dentro de mim, flutuando na maré de um tempo que não sei se vivi e que no entanto sinto como meu... São imagens macias, douradas, que falam comigo e dizem coisas, muitas coisas, tantas coisas que se agarram à minha pele, que esvoaçam com as asas abertas e ficam presas a um sopro qualquer do meu coração...

2 comentários:

Lídia Borges disse...

Ondas de recordações na espuma do silêncio.
Um dizer tão rente ao sentir que se torna palpável.

Parabéns Paulinha, por mais este maravilhoso texto.

Beijo meu

De Profundis disse...

Obrigada pelas palavras tão bonitas.

Um beijo, Lídia :)