quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O Amor é um lugar estranho


O Amor é um lugar estranho. Quando amamos, expomo-nos totalmente, ficamos indefesos e à deriva... porque o Amor fragiliza-nos, desnuda-nos. Obriga-nos a lutar com os nossos próprios fantasmas, a atravessar sombras e desfiladeiros gelados. Quando amamos sentimos medo, e é um medo cortante, uma lâmina intranquila apontada ao coração que muitas vezes não consegue evitar ferir-se. E muitas vezes sangra, esse coração desfeito.
Mas o estranho lugar onde o Amor mora, é feito de água e de luz pura. Nesse lugar tocam-se as estrelas, atravessam-se mares felizes de risos claros, agarra-se o vento nas mãos fechadas, ouve-se a música das palavras proferidas em silêncio. E podemos aprisionar a alegria na pele. Por Amor somos fortes, gigantes de coragem e de sonhos que não morrem.
São tão estranhas, as faces do Amor... Como é estranho, esse lugar onde o Amor habita...

1 comentário:

entremares disse...

Não te conheço, é certo.

Mas quando comecei a ler os posts, andando para trás, sempre mais para trás, não consegui parar.

Gostava de ter sido eu a escrever isto, sabes?
As palavras saem fáceis, nesse papel.

Como a água, diria o Eugénio de Andrade.


Rolando