quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Outono... Outra vez


E depois, o tempo. O secular ritmo das estações, umas atrás das outras. As hortênsias apodrecendo caladas, o rosto azul tombado tristemente nos canteiros onde a terra arrefece... Os pirilampos apagados nas noites ventosas, as tardes que se inclinam lentamente na luz cada vez mais breve destes dias já frios e as janelas que se cerram mais cedo ao arrepio do vento norte... A natureza renuncia à superfície, enrola-se para dentro, esconde-se da chuva oblíqua que lhe fere a seiva e as noites chuvosas emudeceram as criaturas da noite. É outono. Ignora-o o meu corpo que recusa o calor de roupas mais pesadas, ignoram-no as minhas mãos, quentes de poesia, não o sabem os meus pés, descalços na madeira arrefecida, esquecidos do gotejar pungente dos cristais de chuva... Esqueci o caminho de regresso aos dias tristes, às manhãs escuras, ao acender das luzes a meio das tardes intranquilas, aos anoiteceres plúmbeos e melancólicos... 
Que merda este desejo de empurrar a porta ao outono,  este eterno andar desajustada com os equinócios... 

4 comentários:

heretico disse...

viver em contra-mão é sedutor...

ainda que os equinócios continuem a descrever a sua inelutável trajectória.

beijo

Gustavo disse...

...o que seria das "hortências" a apodrecer se falassem, o que seria do seu rosto azul se sofressem de melancolia... ó doce ignorância dos equinócios!

Abraço,

Gustavo

P.S."hortências" com "c"(em vez de "s") = personificação? ...pelo menos foi o que pensei, pormenor sublime!

Anna disse...

Talvez por vezes seja sedutor, sim... Mas quase sempre, viver em contra-mão é redutor... :)

Beijo, Herético.
Bom fds :)

Anna disse...

Obrigada pelas palavras, Gustavo :)
Lamento desiludi-lo, aquilo que tomou talvez por recurso estilístico, não passou de um erro grosseiro que já está corrigido. Hortênsia com "s", claro! Mil desculpas e muito obrigada pela ternura com que sempre me comenta :)

Um beijo, bom fds!