quarta-feira, 7 de março de 2012

África


E então baixei os olhos para que não visses as lágrimas e sussurrei-te ao ouvido, a meio do abraço Vou regressar a África e tu sorriste e não me acreditaste. Que sou do mar e a minha alma é um peixe, vai sufocar no chão quente de terra vermelha, disseste. Mas é que tu não sabes que tenho sonhado com céus de fogo ardendo em horizontes infinitos e dentro da minha memória há um cheiro que não reconheço... Estará em África, junto da lama morna e do cacimbo que me escorria nos cabelos, na chuva de bátegas grossas como pedras ou nos amanheceres luminosos de pássaros enormes riscando o azul? Tenho que ir, repeti, e tu sorriste outra vez, o beijo meigo a tentar amparar-me a loucura que me lançará de novo nesta mania de ser ave atirada em rota incerta... Quero regressar a África para descobrir se conseguiria ser feliz atrás das montanhas, vou deitar-me no pó do chão para ouvir os bichos rastejarem, vou caminhar descalça pelos atalhos e roubar os frutos às árvores, como quando era menina... Vou tentar encontrar o que lá ficou de mim. Mas eu volto, mãe. Volto para te contar se pertenço à terra, como as árvores, ou se sou apenas o que tu dizes, um peixe que se julga ave e se despenha em voos picados nos fundos abismos do mar salgado.  

9 comentários:

Maria Campos disse...

Ganharás, numa Primavera de sucesso...
E festejaremos :)

Anna disse...

Não, Maria. Não ganharei... Eu sei. Mas festejaremos na mesma a chegada da Primavera :)

Obrigada pela tua amizade!

Beijo

Anónimo disse...

Deixei o meu coração em África...em África minha...

;)

Anna disse...

Tantos corações lá ficaram... Tantos!

Beijo

Maria João disse...

África será sempre a eterna sedução dos sentidos. O sonho que acordou, muito antes de respirar todos os cheiros e todas as cores. A esperança presa num lugar... o lugar mais quente da terra.
África será sempre assim... para muitos corações que partiram e para outros, que sem nunca lá terem estado, ouvem no fundo de si, um apelo rubro que nunca questionaram.


Um beijinho grande

Anna disse...

E acabas de dizer tudo. Tudo. De uma forma tão bela, Maria João...

Beijo

Hanaé Pais disse...

Um dia também vou regressar a África.
E nesse dia vou beber de mim, aquela que já fui e que perdi...

Mário Cadete disse...

Um dia também voltarei a África onde deixei meu coração bem escondido atrás daquele cheirinho de terra molhada.

Mário Cadete disse...

Um dia também vou regressar a Africa, onde deixei meu coração preso ao cheiro de terra molhada