quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O peso do meu coração na tua pele


Quero dar-te a coisa mais pequenina que houver
bago de arroz grão de areia semente de linho
suspiro de pássaro pedra de sal
som de regato
a coisa mais pequenina do mundo
a sombra do meu nome
o peso do meu coração na tua pele.

Rosa Lobato de Faria, Poemas Escolhidos e Dispersos

2 comentários:

Emoções disse...

Muito bem escolhido este poema.
Lindo!

De Profundis disse...

Obrigada, Dina. Eu adoooooooro a Rosinha, sobretudo a obra poética :)

Beijinhos