sábado, 19 de junho de 2010

A voz que nos disse tudo


Termino. A voz que leu estas páginas quis ser o eco das vozes conjuntas das minhas personagens. Não tenho, a bem dizer, mais voz que a voz que elas tiveram. Perdoai-me se vos pareceu pouco isto que para mim é tudo.

José Saramago, in Discurso perante a Real Academia Sueca: De como a Personagem foi Mestre e o Autor seu Aprendiz

2 comentários:

Lídia Borges disse...

"A morte serva para que possamos continuar a viver"

José Saramago

Um beijo

De Profundis disse...

A morte rouba-nos os que amamos, Lídia. E é difícil viver com essa ausência.

Beijinho, bom fds :)