domingo, 31 de janeiro de 2016

Como uma árvore


Como uma árvore, às vezes penso, o homem pode subir alto, mas as raízes não sobem. Estão na terra, para sempre, junto da infância e dos mortos.

Vergílio Ferreira, in Alegria Breve

8 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Pessimismo péssimo
esse, o de Vergílio
Não saberia, ele
que a minha raiz
está pendurada
onde foi criada?

Onde?
numa nuvem!
sob o azul

(as raízes não só sobem
como lá nascem)

Anna disse...

Tão belo, Rogério...!
Mas eu fico com o Vergílio: as minhas raízes pertencem à terra, são âncora dos meus sonhos, farol de todos os meus voos... Só assim, sempre que as asas me falham, eu sei encontrar o meu chão.

Beijo, boa semana e grata pela visita :)

Mouroblog disse...

Gostei de seu blog e das palavras lá contidas, se puderes visite-me http://mouroblog.blogspot.com.br/

Mar Arável disse...

Subir ao chão

Belo

Anna disse...

Grata pela visita, Mouro :)

Anna disse...

Subir ao chão... Muito belo, Eufrázio.

Abraço

Anónimo disse...

e por isso comemoramos o passado. faz parte. um pouco antes, parabéns!

Anna disse...

Grata pela visita, viajante Anónimo.
Volte sempre :)