quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Palavras de sangue


Chegaste
com a tua tesoura de jardineiro
e começaste a cortar:
umas folhas aqui e ali
uns ramos
que não doeram...
Eu estava desprevenida
quando arrancaste a raiz.

Yvette Centeno, "A Árvore"

2 comentários:

heretico disse...

jardineiro desajeitado - é o minimo que se pode dizer... rss

o poema é muito belo

beijo

Anna disse...

É muito belo, sim!

Beijo