sábado, 26 de setembro de 2015

Mareantes do vento


Crescemos na nudez das rochas

crescemos e desmaiamos
conforme as marés

Vertemo-nos líquidos
em caudais de sons
ardidos no sal
no delírio da espuma
por todo o corpo

Crescemos na substância das pedras
com asas muito leves

Não somos barco de carregar velas
somos mareantes do vento


Eufrázio Filipe, in Mar Arável (mararavel.blogspot.pt)

8 comentários:

O Puma disse...

Na verdade

Bj

heretico disse...

um belo poema de meu amigo MarAravel - um poeta de referência.

outro fosse o mainstream cultural e o Eufrázio povoaria os escaparates das principais livrarias do País.

um abraço, repartido.

Majo disse...

~~~
~~~~~~~~~~~~~ Muito belo!

~~ Excelente homenagem ao Poeta amigo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~ Beijinhos, com votos
de dias agradáveis, amorosos e poéticos.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Anna disse...

O Poeta sabe, Puma :)

Beijo

Anna disse...

A poesia do Eufrázio fica no coração... Um lugar maior do que os escaparates.

Beijo, Herético

Anna disse...

Votos retribuídos, querida Majo :)

Beijo

Mar Arável disse...

Bjs tantos

Anna disse...

Retribuídos, Eufrázio :)