quarta-feira, 2 de julho de 2014

Sem que seja assim


vou buscar-te ao fim da tarde,
porque a noite só escurece contigo ao
meu lado, porque a noite aprende por ti
o caminho aberto das estrelas
 
vou buscar-te ao fim da tarde,
e verás como preparei a casa, como
escolhi a música, como, enfim, espalhei
os objectos mais impressionados contigo,
os que ganharam vida por se interporem
na espessura estreita que vai do meu
ao teu coração

e não mais devolvo, correndo todos os
riscos de não amanhecer nunca
numa loucura propositada por ti

não mais te devolvo,
ocuparás o mundo debaixo e sobre mim,
e não haverá mais mundo sem que seja assim


valter hugo mãe, in pornografia erudita

2 comentários:

heretico disse...

um belíssimo poema de amor - de um escritor/poeta que tenho "evitado"

... injustamente!

beijo

Anna disse...

Para mim, a escrita do Valter - tanto a poesia como a ficção narrativa - é sublime...

Um beijo