domingo, 17 de junho de 2012

Em voz baixa


É possível que eu esqueça a liquidez da Lua
o sono dessa rua às três da madrugada
a longa caminhada orquestrada pela chuva
a sombra de uma luva em cima de uma vaga

É possível que eu esqueça o dia em que nasceste
Em que depois da luva apareceram as mãos
É possível que eu esqueça    Ou me seja indiferente

É possível que sim   É preciso que não

David Mourão-Ferreira, "Sotto Voce" in Do Tempo ao Coração

3 comentários:

Hanaé Pais disse...

Obrigada pelas suas palavras e obrigada pela sua música.

Esta música faz parte do meu treino (quase) diário nas teclas do meu piano.
Obrigado pelo seu regresso.
Sinto-a feliz e envio-lhe parte da felicidade que envolve os meus dias.
É como uma cidade Luz a onde corre um rio e as pontes românticas que unem margens. E uma catedral a onde brilha de novo a fé.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Muito bonito e não conhecia...

Maria João disse...

Não, acredito que não!

Há uma voz que se escreve, mesmo no que David escreveu. Oiço-a, continuarei sempre a ouvi-la...

Um beijinho grande.