segunda-feira, 14 de maio de 2012

Aves de silêncio e solidão






Somos folhas breves onde dormem
aves de silêncio e solidão.
Somos só folhas ou o seu rumor.
Inseguros, incapazes de ser flor,
até a brisa nos perturba e faz tremer.
Por isso a cada gesto que fazemos
cada ave se transforma noutro ser.

Eugénio de Andrade, in Poesias

4 comentários:

Maria João disse...

E nunca mais somos os mesmos, até que todas as estações se cumpram!

Beijinhos, Ana. Saudades...

Hanaé Pais disse...

Toco todos os dias esta musica. Linda!

Lídia Borges disse...

Tantas vezes Eugénio nos deixa em silêncio. Tantas vezes!...

Beijo meu

Prosas e Versos AndreaCristina Lopes disse...

Teu blog é maravilhoso. Voltarei mais vezes...

Beijos

Andrea Cristina