domingo, 30 de novembro de 2008

O poema possível


Apetece-me um poema
que ainda não está escrito.
Procurei-o em todo o lado
mas nenhum me fala do teu riso
ou tem o aroma dos morangos,
sequer o travo amargo do chocolate...
Apetece-me um poema
que traga todas as cores
e aqueça o frio escuro
deste Novembro que se despede.
O meu poema único não existe...
Poeta nenhum o rascunhou
para ilustrar isto que sinto...
Esta espécie de saudade ácida
do abraço quente de um dia de sol,
este silêncio onde fico
desalentada, porque não há
um poema possível.

4 comentários:

ALMARIADA disse...

Ora aqui está o poema que faltava...! :) Ainda bem que ainda não tinha sido escrito! :)

Tudo bom para ti!

De Profundis disse...

Obrigada ALMARIADA, volta sempre.
Beijinho

WOLKENGEDANKEN disse...

Os teus textos sao muito expressivos ..... Desejo que algum dia nao muito longe apareca o "poema da alegria de vivir" Mas isso vem quando menos o esperamos....
um beijo

De Profundis disse...

WOLKENGEDANKEN
A alegria de viver manifesta-se de muitas maneiras...mesmo que às vezes não nos pareça...
Beijinho