domingo, 29 de maio de 2016

Palavras Roubadas


Deixa-te ficar comigo à beira do rio.
Entardeceu. Não procures o vulgar brilho da beleza
nem a sedução da mocidade.
Se te falarem dos deuses, finge entender.
E se chamarem poeta ao dono do circo,
concorda gravemente.

Luís Filipe Castro Mendes, in Os Dias Inventados

4 comentários:

heretico disse...

Ricardo dos Reis passou por aqui, não?

(pressinto, lá ao fundo Lydia, no procénio rss)

beijo

Anna disse...

Tem toda a razão, Herético :)
No proscénio, Lídia contempla as águas, estoicamente pousando as rosas que por breves momentos lhe perfumaram as mãos...
É evidente a influência de Reis neste poema, coisa que o autor não esconde. Mas afinal, quem não escreveu já ao som da voz de Pessoa? Quem não se deixou influenciar por um Mestre?

Abraço, grata pela visita :)

Majo Dutra disse...

~~~
Muito interessante, Anna.

~~~~ Dias felizes. ~~~~

Anna disse...

Beijinhos, Majo!