domingo, 7 de outubro de 2012

Da (minha) Felicidade

 
Sim, a felicidade é isto... Chegar ao fim de um longo caminho, bater com suavidade a porta atrás de nós, respirar fundo, descalçar os sapatos e massajar os pés feridos e cansados da viagem... Depois, sentarmo-nos no chão e ficarmos apenas a ouvir o bater tranquilo do coração... Sentir a vida a pulsar forte debaixo da pele, ter este sorriso teimoso nos lábios e os olhos cheios de luz, uma luz que não se apaga... Felicidade é isto... Chegar. Chegar aonde não acreditamos que fosse possível, chegar depois de termos pensado que não conseguiríamos... Ter os pés em sangue e o corpo vergado pelo cansaço, descobrir que envelhecemos... Mas saber que depois de termos chegado aqui, poderemos chegar aonde quisermos porque os caminhos já não nos assustam... O mundo já não nos assusta e somos capazes de qualquer viagem. Felicidade é isto: chegar a um sítio onde nos esperam os que amamos, aqueles que acreditaram, mesmo quando os caminhos eram de solidão. Partimos sós mas à chegada temos a quem abraçar, quem nos esperou sem desistir enquanto rompíamos a pele em fundas feridas no pó das estradas...
Hoje cheguei ao fim de uma longa e dura viagem. Uma viagem de três anos, sofrida, doída, que me pareceu impossível de terminar. Tropecei muitas vezes, caí algumas mais, tombei de bruços e ali fiquei, como uma ave sem asas... Senti-me muitas vezes só, profundamente só... Senti-me muitas vezes perdida e derrotada, arrastada num vendaval como uma mariposa às cegas rodopiando em infinitas voltas... Senti muitas vezes que não valia a pena tanta abnegação, tanto sacrifício... Por isso, este brilho de sol que hoje mora em mim, dentro dos meus olhos, que me baila nos lábios nesta dança tão doce... Cheguei. Estou cansada, mas estou feliz. Hoje, cheia de marcas e feridas e cicatrizes, sei que entreguei nesta viagem as minhas lágrimas, o meu sangue, a minha pele e a minha carne. Sim, a felicidade é isto... entregar o coração a um sonho e descobrir que o coração não se esgotou, que cresceu, se agigantou, que está sereno e cheio só de amor e coisas boas...
Por isso, esta noite entrego aos que amo este coração feliz que bate quente nas paredes do meu peito... Dou-lhes o meu sorriso mais doce, e brindo à vida. De pés descalços, beijo e abraço os que me ajudaram a chegar aqui.
Obrigada por não me terem deixado desistir. Obrigada por me terem esperado. Obrigada por me terem amado tanto...!  

15 comentários:

Lídia Borges disse...


Não penses que fica assim. ;)
Vamos festejar condignamente no momento próprio. Vamos para os copos!... (ainda que sejam de água):)

Um abraço "apertadinho"

Anónimo disse...

Demoraste três anos a ir a Fátima a pé??? És pastelona, Rapariga...

PS: Ao passar na Mealhada no regresso, compraste ao menos uma sandes de leitão para os que te esperaram ???

;

Anónimo disse...

Sei que o eu anterior comentário (o da ida a Fátima e da sandes de leitão) foi palerma, tal como muitos outros que postei neste espaço de extrema qualidade. Mas quando penso sobre pertinência desses comentários ou do próprio autor, acabeo por decidir continuar. É que um blogue eclético também merece um comentador palerma...
Não te parece?
;)

Hanaé Pais disse...

Felicidade, felicidade, até quando?
Eeperei por ti e tu chegas-te, vinda no meu lamento.
Fica comigo para "curar" o meu sofrimento.
Não partas, aguarda apenas te peço um momento...
Pinta uma lua para iluminar a nossa noite, e pinta um sol para iluminar o nosso dia.
E espera, espera, mas não desesperes.
Embarco na jangada dos teus braços de anjo e mergulho no teu olhar de mar e não olho para trás...
Aguarda algum Tempo e sonha comigo...

ORPHEU disse...

Muitos parabéns Anna. Que bom ler um texto feliz, tu mereces todas as vitórias, não deixes de partilhar com os que por aqui passam.

Abraço sentido

Maria Campos disse...

Que descrição tão linda de uma viagem sinuosa, mas que terminou num oásis merecido!
Parabéns, Anna!
Eu sempre soube que conseguirias :-)

Um abraço amigo!

Mar Arável disse...

Aguardo-a na minha escarpa

Anna disse...

Combinado, Lídia! Caipirinha bem docinha... e depois vamos dançar :) Vale?

Beijos, muitos :)

Anna disse...

Caríssimoa Anónimo,

Muito grata pelo elogio em relação à qualidade do meu blog :) Quanto ao resto, sim, os comentadores são livres de vestir "a pele de palermas" sempre que queiram... Desde que não sejam ofensivos quer comigo, quer com qualquer outro dos comentadores. Todos são bem vindos :)

Um beijo

Anna disse...

Hanaé,

Obrigada pela partilha :)

Um beijo

Anna disse...

ORPHEU,

Não sei se mereço ou não... Sei que o sabor da conquista é maravilhosamente doce!

Um beijo

Anna disse...

Maria,

Eu sei que sim... Que muitas vezes me empurraste para a frente...
Obrigada querida :)

Beijooooo

Anna disse...

Lá estarei, Eufrázio. Sou como as aves, não falto. Nunca falto.

Um beijo

Maria João disse...


Só hoje chego aqui. Chego tarde, mas ainda assim, a tempo para te deixar um abraço forte e te dizer o que sempre te disse, este dia iria chegar e fazer-te sorrir por todos os outros que choraste. :)

Eu bem te avisei!!

Fico tão feliz!

Um beijo

Anna disse...

Nunca é tarde, Maria João. Nunca é tarde para abraçar os que amamos.

Um beijo e obrigada!!