quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Palavras roubadas


Eras a razão do poema. Caminhavas sobre as águas e procuravas uma ilha. Talvez fosses uma metáfora, talvez soubesses o nome das árvores e o destino do mundo. Pode ser que fosses a sombra de um sonho. Ou serias um farol numa praia, uma imagem roubada ao começo dos dias?

Bernardino Guimarães, in Facebook - Página Pessoal

2 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Eras...
que pena ser passado

Quando roubares palavras
trá-las
carregadas de futuro

Anna disse...

Roubei-o por ser um texto muito belo, assim mesmo, no tempo passado.E eu gosto dos tempos pretéritos: do perfeito, do imperfeito e do mais-que-perfeito.

Abraço, Rogério :)