quarta-feira, 31 de julho de 2013

Do cansaço


Ouve, tu que não existes em nenhum céu:

Estou farto de escavar nos olhos
abismos de ternura
onde cabem todos menos eu.

Estou farto de palavras de perdão
que me ferem a boca
dum frio de lágrimas quentes de punhal.

Estou farto desta dor inútil
de chorar por mim nos outros.

- Eu que nem sequer tenho a coragem de escrever
os versos que me fazem doer.

José Gomes Ferreira

15 comentários:

Anónimo disse...

Este poema tocou-me de uma forma muito especial.
É para ler e reler.
Eduardo.

Mar Arável disse...

O nosso Zé Gomes

sempre

Anna disse...

É um poema fortíssimo, sim...

Obrigada, Eduardo :)

Anna disse...

Um grande senhor da literatura, Eufrázio. A meu ver, muito mal amado... :(

Rosa Carioca disse...

Tão lindo...

Anna disse...

:)

Beijo, Rosa.

Dolce disse...

Vi consiglio di leggere la mia lezione di scrittura creativa "COMO ESCREVER POESIA ERÓTICA".
Saluti,
Architteto Dolce Filiberto di Savoya, PhD

Anna disse...

Grata pelo convite, Dolce :)
Visita retribuída já a seguir! :)

Maria Campos disse...

Tenho saudades tuas, miguinha e também das tuas palavras...

ORPHEU disse...

Ainda de férias???? Ainda????

Anna disse...

Também tenho saudades, Maria... :(
Abraço-te.

Anna disse...

Não, ORPHEU... Já não... :(

LUIZ SERGIO RIBEIRO disse...

LINDOS VERSOS,INSPIRAÇÃO SUBLIME

LUIZ SERGIO RIBEIRO disse...

LINDOS ,MUITO LINDO MESMO

Anna disse...

Grata pela visita, Luiz Sergio Ribeiro.
Volte sempre que queira :)