sexta-feira, 6 de julho de 2012

O tanto que guardamos cá dentro


Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais; somos, também, o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos, "sem querer".

Sigmund Freud

2 comentários:

António Gallobar disse...

Um maravilhoso poema, que nos transporte à essencia do nosso ser, o que somos o que queremos.

Parabens adorei

Anónimo disse...

"...os impulsos a que cedemos, "sem querer".

A culpa é da vontade!

http://www.youtube.com/watch?v=xzbvN9E980k

;)